O mundo está em constante movimento, e cada revolução industrial causou um impacto diferente. No começo eram as máquinas a vapor, agora temos fábricas inteligentes onde há uma modificação na forma que os produtos são manufaturados através da inteligência artificial.

  • 1ª Revolução Industrial: Em 1780 houve a primeira revolução industrial, onde aconteceu o aprimoramento das máquinas a vapor, com a criação do Tear mecânico.
  • 2ª Revolução Industrial: Em 1870 começaram a utilizar o aço, energia elétrica, motores elétricos e dos combustíveis derivados do Petróleo.
  • 3ª Revolução Industrial: Em 1970 a eletrônica teve grande avanço, com os sistemas computadorizados e robóticos para manufatura.
  • 4ª Revolução Industrial: Atualmente aplicação da “Internet das Coisas” e processos de manufatura descentralizados.

          A indústria 4.0 trata de um novo período de grandes revoluções industriais ou evoluções industriais, no campo de automação, controle e tecnologia da informação aplicados aos processos de manufatura. Tornando os processos de produção mais eficientes, autônomos e customizáveis através da internet das coisas e internet dos serviços.

         As principais características da Indústria 4.0 envolvem a conexão de máquinas, sistemas e ativos, para criar redes inteligentes em toda cadeia produtiva. Ou seja, as fábricas inteligentes terão a capacidade e autonomia para agendar manutenções, prever falhas nos processos e se adaptar aos requisitos e mudanças não planejadas na produção.

         Os fatores mais evidentes da indústria 4.0 são:

  1. Operação em tempo real: Tem acesso instantemente aos dados e consegue tomar decisões mais assertivas em tempo real.
  2. Simulação: Permite que o gestor rastreie e monitore remotamente todos os processos por meio de inúmeros sensores espalhados ao longa da estrutura, que é basicamente uma cópia virtual das fábricas inteligentes.
  3. Descentralização: Para melhor a produção os sistemas cyber-físicos tomam decisões com base em análise de dados, sem depender de ação externa, tornando a tomada de decisão mais segura e certeira.
  4. Modularidade: Sistemas modulares para que uma máquina produza de acordo com a demanda, visto que irá utilizar somente os recursos necessários para a realização de cada tarefa, garantindo otimização na produção e economia de energia.

          Entre os avanços tecnológicos os mais relevantes são:

  • Internet das coisas (Internet of Things – IoT): Consiste na conexão entre rede de objetos físicos, ambientes, veículos e máquinas por meio de dispositivos eletrônicos embarcados permitindo a coleta e troca de informações. Sistemas que funcionam a base da Internet das Coisas e são dotados de sensores e atuadores são denominados de sistemas Cyber-físicos, e são a base da indústria 4.0.
  • Big Data Analytics: Análise e gestão de grandes quantidades de dados está permitindo maior performance de otimização de processos industriais. A tecnologia de Big Data consiste em 6Cs para lidar com informações relevantes: Conexão (à rede industrial, sensores e CLPs), Cloud (nuvem/dados por demanda), Cyber (modelo e memória), Conteúdo, Comunidade (compartilhamento das informações) e Customização (personalização e valores).
  • Segurança: Todas as áreas da empresa estejam conectadas, por isso a cibersegurança é um elemento fundamental para proteger sistemas e informações de possíveis ameaças e falhas, que podem vir a causar transtornos na produção. Contornando situações como problemas como falhas de transmissão na comunicação máquina-máquina.

           Além destas tecnologias, outros dispositivos vêm ganhando espaço, um deles é a tecnologia RFID, com os sistemas de rastreabilidade industrial. Que permite ter acesso as informações de produtos, estoques e localização dos produtos em tempo real e com quantidades exatas.

           Conforme a evolução tecnológica, a tendência é que em um futuro próximo todas as fábricas se adequem ao conceito de indústria 4.0, tornando-se altamente autônomas e eficientes.